Sugestão de leitura para o Sábado de Aleluia: Judas-Ahsverus – conto de Euclides da Cunha

Judas-Ahsverus é uma das mais belas páginas de Euclides da Cunha e da literatura brasileira. Uma boa sugestão de leitura para este Sábado de Aleluia. O retrato de um povo que se escraviza a si próprio, seduzido pelo canto da sereia oportunista, e constrói judas à sua imagem e semelhança para desforrar-se de sua própria desgraça.
O conto está no livro Euclides da Cunha – da face de um tapuia, da coleção Introdução aos Clássicos Fluminenses, da Nitpress, com organização de Anabelle Loivos e Luiz Fernando Sangenís, e pode ser adquirido na livraria online da editora.

Leia abaixo, na íntegra, essa obra-prima de Euclides da Cunha e se você gostou dessa dica, cadastre-se para receber outras sugestões de leitura da Nitpress.

Judas-Ahsverus – conto de Euclides da Cunha

No sábado de Aleluia os seringueiros do Alto Purus desforram-se de seus dias tristes. É um desafogo. Ante a concepção rudimentar da vida santificam-se-lhes, nesse dia, todas as maldades. Acreditam numa sanção litúrgica aos máximos deslizes.

Nas alturas, o Homem-Deus, sob o encanto da vinda do filho ressurreto e despeado das ínsidias humanas, sorri, complacentemente, à alegria feroz que arrebenta cá em baixo. E os seringueiros vingam-se, ruidosamente, dos seus dias tristes.
Continuar lendo

Ykenga lança Casa Grande & Sem Sala em Niterói

Convite


O livro Casa Grande & Sem Sala, do cartunista Ykenga, será lançado em Niterói no Bar do Renato (Praça Leoni Ramos, 19, São Domingos), no dia 9 de março, às 19h.
Sobre o livro:
A trajetória dos negros no Brasil, desde a época do Descobrimento até os dias de hoje, é retratada com humor e fina ironia em dezenas de cartoons que compõem o livro, prefaciado pelo também chargista Chico Caruso.
O sarcasmo dá o tom da crítica social presente nos desenhos de Ykenga, onde temas como escravidão, preconceito e injustiça são tratados sem rodeios. Embora seja destinado ao público em geral, o livro desperta grande interesse dos adolescentes, tanto pelo apelo das ilustrações como pela empatia com a realidade social desenhada, o que o torna um bom instrumento paradidático na abordagem da temática afro-brasileira pelas escolas.
Ykenga, como o chamava sua avó africana, foi o pseudônimo adotado por Bonifácio Rodrigues de Mattos, que vem publicando há vários anos os seus cartoons na imprensa carioca e fluminense. Começou a carreira no semanário O Pasquim e passou por vários jornais, como O Dia, Última Hora, O Fluminense, entre outros. Atualmente atua no jornal Extra. Milita também desde os anos 80 no movimento negro, é diretor da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e membro da Academia Brasileira da Cachaça.

Livros da Nitpress com até 50% de desconto na 15ª Primavera Literária


Começa amanhã e vai até domingo a 15ª Primavera Literária do Rio de Janeiro, evento promovido pela Liga Brasileira de Editoras, a Libre, sob a bandeira da bibliodiversidade, nos jardins do Palácio do Catete (Museu da República). A editora Nitpress marcará presença, como sempre, divulgando seus livros e promovendo a literatura fluminense.
A editora estará no estande 90, onde fará uma apresentação do Atlas Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro para os professores e bibliotecários da rede municipal de educação carioca, que participam do evento com atividades na quinta e sexta-feira. No sábado, o cartunista Ykenga estará no estande da Nitpress autografanso seu livro “Casa Grande & Sem Sala”, às 17h.
Além do atlas e do livro de cartoons, estarão disponíveis e com descontos de até 50% outros títulos e os mais recentes lançamentos da editora, como os livros “Poética do Descobrimento”, de Regina Célia da Silva Costa; “Noites de antigamente”, de Raquel Medeiros; e “Amor e Ódio – laços de passado”, de Sara Rifer.

Nitpress lança primeiro atlas escolar do Rio de Janeiro na XVII Bienal do Livro


As escolas cariocas ganharão, no ano em que são comemorados os 450 anos do Rio de Janeiro, um material didático inédito para ajudar os alunos a conhecerem melhor o espaço geográfico e a rica história da cidade. A editora Nitpress lança, durante a Bienal do Livro, de 3 a 13 de setembro, no Riocentro, o Atlas Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro, apresentando a cidade em riqueza de detalhes, de forma pedagogicamente apropriada para alunos a partir da terceira série do primeiro segmento do ensino fundamental.
O livro faz parte do projeto Atlas Cidadão, desenvolvido especialmente pela editora com o objetivo de suprir a carência acusada por professores de história e geografia provocada pela quase inexistência de material didático dessas áreas específico dos municípios. A edição do atlas do Rio de Janeiro foi organizada pelo professor Fabrício Pimenta da Cunha, também responsável pelo desenvolvimento dos estudos cartográficos, e tem pesquisa histórica assinada pela professora Regina Costa.
O projeto Atlas Cidadão
O projeto Atas Cidadão foi desenvolvido com o propósito de formar cidadãos mais conscientes do microcosmo constituído por seu próprio município. O atlas reúne um conjunto essencial de informações históricas e geográficas da cidade com o auxílio de ilustrações, gráficos e mapas criados especialmente para ajudar os estudantes do ensino fundamental a compreender melhor o mundo que os cerca, fortalecendo as raízes locais.
As primeiras páginas trazem informações sobre o próprio atlas e uma visão básica sobre o Brasil e o estado em que o município se insere. Seguem, depois, as informações históricas do município, com fotos e ilustrações, além dos símbolos municipais, como bandeira, hino e brasão. Os aspectos atuais e uma galeria de cidadãos ilustres completam a parte histórica.
A segunda parte do atlas é formado por um conjunto de gráficos e mapas, acompanhados de notas, fotos e ilustrações explicativas, a saber: pirâmide etária, densidade demográfica, bairros e distritos, população por bairros e distritos, aglomerados subnormais, unidades de consevação, precipitação acumulada, uso e cobertura do solo, hidrografia, hipsometria, hidrografia e hipsometria, geomorfologia, solos e malha rodoviária. Uma bibliografia detalhada acompanha o material.
As escola interessadas em conhecer o Atlas Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro podem agendar a visita de um representante da editora pelo telefone 21 2618-2972 ou através do email nitpress@nitpress.com.br.

Pimentel de volta ao Campo de São Bento

Luís Antônio Pimentel evitou um “urbanicídio” – expressão cunhada por ele mesmo – ao liderar uma campanha na imprensa fluminense contra a abertura de uma via de carros e ônibus passando dentro do Campo de São Bento, referência de bucolismo e lazer na Zona Sul de Niterói. A ideia estapafúrdia surgiu nos anos 60 e foi barrada pela oposição popular liderada por ele, um dos mais importantes memorialistas da cidade, falecido há três meses, aos 103 anos de idade.
No próximo sábado, dia 25, a partir das 9h, o Campo de São Bento será palco de uma homenagem prestada pela Academia Fluminense de Letras, dentro da programação de comemorações dos seus 98 anos, com o relançamento do livro “Luís Antônio Pimentel, o polígrafo da alma fluminense”, décimo volume da coleção Introdução aos Clássicos Fluminenses, da Editora Nitpress. Haverá uma feira de livros organizada pela Associação Niteroiense de Editores de Livros (ANEL) e apresentação de banda de música.
O livro, organizado pelo professor Luiz Antonio Barros, é a primeira antologia baseada na obra completa de Pimentel, apresentando uma visão panorâmica sobre toda a produção literária do escritor. Outros títulos da Nitpress assinados por Pimentel, como “Haicais Onomásticos”, “Contos do Velho Nipon” e “O amor segundo Luís Antônio Pimentel”, estarão sendo relançados na ocasião.

Nitpress lança primeira antologia do Café Paris


Um século depois de impregnar de poesia as noites de Niterói, a roda líteroboêmia do Café Paris volta a se reunir no nono volume da coleção “Introdução aos Clássicos Fluminenses”, da Editora Nitpress. Organizado pelo professor Luiz Antonio Barros, da Academia Niteroiense de Letras, o livro Os Poetas Satíricos do Café Paris, que será lançado no próximo dia 12, na Academia Fluminense de Letras, oferece sua contribuição à arqueologia cultural da cidade como a primeira antologia do cultuado Café Paris.
Continuar lendo

Nitpress na Bienal de Campos – Homenagem a José Cândido de Carvalho


A cidade de Campos vai ser palco do único lançamento previsto até agora sobre José Cândido de Carvalho no ano do centenário de nascimento do autor de O Coronel e o Lobisomem. O livro José Cândido de Carvalho – Coronéis, Bergantins e Mafagafes, organizado pelo professor Luiz Antonio Barros, da Academia Niteroiense de Letras, será lançado sábado, dia 17, às 19h, durante a 8ª Bienal do Livro de Campos dos Goytacazes.
Trata-se do quinto volume da coleção “Introdução aos Clássicos Fluminenses”, da Nitpress, a rigor, a única editora do estado especializada em literatura e história fluminense, que estará representada no estande nº 14 da Bienal. Além de apresentar cronologicamente a vida de José Cândido, o livro pode ser considerado uma obra lexicográfica, oferecendo estudos dos topônimos e antropônimos, da língua e do estilo do autor, além de um glossários contendo expressões idiomáticas criadas por JCC.
Idealizado, como os demais volumes da coleção, como um instrumento de apoio didático, o livro também traz uma antologia de contos e excertos dos romances de José Cândido, tornando-o uma leitura atraente para todos os públicos.
Às 20h, também na Bienal de Campos, a professora Márcia Pessanha, campista radicada em Niterói há vários anos, relança o segundo volume, organizado por ela, da coleção da Nitpress, dedicado a Casimiro de Abreu. O livro Casimiro de Abreu – O poeta das Primaveras segue o mesmo padrão dos outros volumes e resgata a vida e a obra do autor de clássicos imortais da poesia brasileira, como “Meus oito anos”.
Presidindo atualmente a Academia Niteroiense de Letras, Márcia Pessanha também é diretora da Academia Fluminense de Letras e vice-presidente do Cenáculo Fluminense de Letras – entidade que já presidiu. Foi, também, presidente da Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense (UFF), onde ainda leciona.

Nitpress na Primavera dos Livros 2013


A Nitpress participa da festa da bibliodiversidade com os lançamentos dos livros “História de um cambucazinho”, de Fabiana Corrêa, sexta-feira, dia 25, às 12h, e “Um sorriso de oito graus na escala Richter”, de Hugo Rodrigues, sábado, às 12h. O evento é o mais charmoso do mercado editorial brasileiro e reúne as melhores editoras independentes do país, congregadas em torno da bandeira da bibliodiversidade, e acontece nos jardins do Palácio do Catete (Museu da República), de quinta-feira, dia 24, a domingo, dia 27 de outubro. Veja detalhes em http://www.libre.org.br/.

A literatura fluminense na XVI Bienal do Livro

Nitpress na Bienal


A Editora Nitpress leva mais uma vez para a Bienal do Livro do Rio de Janeiro o seu catálogo baseado na literatura fluminense e em história política brasileira contemporânea. Mais uma vez, o selo está integrado ao espaço Letras de Niterói, que este ano ocupará o estande nº 11 da Rua R do Pavilhão Verde do Riocentro, entre a Av. Stanislaw Ponte Preta e a Praça de Alimentação.
Entre os novos talentos da literatura fluminense, destaque para o romancista estreante Hugo Rodrigues, que lança no Rio o livro “Um sorriso de oito graus na escala Richter”, sexta-feira, dia 30, às 18h. No sábado, dia 31, o professor Aloysio Castelo de Carvalho, autor dos livros “A Rede da Democracia – O Globo, O Jornal e o Jornal do Brasil na queda do Governo Goulart” e “O caso Última Hora e o cerco da imprensa ao Governo Vargas”, também lançado este ano, fala sobre as origens do golpe de 64, que completará 50 anos em 2014.
No domingo, 1º de setembro, às 13h, a Nitpress promove um tributo a Edmo Rodrigues Lutterbach, que presidiu por mais de 30 anos a Academia Fluminense de Letras e este ano está sendo homenageado pelas editoras niteroienses, emprestando seu nome à praça de eventos do espaço Letras de Niterói. Haverá um recital de poesias e o lançamento do livro “Painel da saudade em louvor a Edmo Rodrigues Lutterbach”, ambos organizados por Neide Barros Rego.
No sábado, 7 de setembro, o escritor e policial federal Sandro Araújo, autor de “Anjo da Noite” e “Federal – uma história de polícia”, participa de um bate-papo com leitores sobre histórias policiais, às 13h. No domingo, dia 8, a produção literária do interior do Estado do Rio estará representada pelos autores Fabiana Corrêa (“Era uma vez, Euclydes…” e “História de um cambucazinho”) e Rick Azevedo, que estará lançando o seu livro “Vila de São Isidro Lavrador”, às 12h.
Fechando a participação da editora no evento, o professor Jorge Felipe Columá apresenta, na praça de eventos do espaço Letras de Niterói, uma roda de capoeira, às 16h, marcando o relançamento do seu livro “Arte, magia e malandragem – o imaginário cantado nas rodas de capoeiras”.
Clique no mapa abaixo para ver ampliada a localização do espaço Letras de Niterói na Bienal:
mapa